Ômega 3 na gestação

Publicado em 07/12/2018 por Fatima

Uso do Ômega 3 na gestação.


A gravidez é um dos momentos mais importantes e mágicos na vida de uma mulher. Neste período, a gestante não se preocupa mais apenas com a sua saúde, mas sim e principalmente com a nova vida que está gerando, buscando cuidar melhor do seu bem-estar e da sua alimentação. 
O Ômega 3 ajuda a reduzir a pressão sanguínea, evitando problemas circulatórios e de hipertensão gestacional, melhora o funcionamento cardiovascular, stress gestacional, depressão pós parto e age como um anti-inflamatório para a gestante.
Ainda, auxilia na redução de aborto espontâneo e dos partos prematuros de origem espontânea. 
O que é Ômega-3?
cápsulas de ômega-3É um ácido graxo essencial que não pode ser fabricado pelo nosso corpo e que se divide em três tipos: ácido alfa-linolênico (ALA), ácido eicosapentaenoico (EPA) e o ácido docosahexaenoico (DHA).

O DHA tem ação antioxidante e favorece na cognição e conexões entre os neurônios, beneficiando as funcionalidades do cérebro.
O EPA tem ação anti-inflamatória, auxilia na saúde do coração e na circulação sanguínea, evitando a formação de trombos (coágulos) no sangue e diminuindo os riscos de trombose e de acidente vascular cerebral.
O ALA pode ser convertido em DHA ou em EPA depois de ser ingerido.  Porém, essa conversão é limitada, porque essas enzimas também são usadas pelo corpo para outras funções metabólicas.
Todos esses ácidos graxos são importantes para o nosso corpo durante e depois da gestação. Pois (como falamos acima), o nosso organismo não é capaz de produzi-lo naturalmente, tornando assim necessário que a nossa dieta contenha fontes regulares desse nutriente essencial.


Benefícios do ômega 3 para o feto e a criança

Recentes pesquisas indicam que os ácidos graxos poliinsaturados, ou seja, o ômega 3, são nutrientes essenciais para o desenvolvimento do recém-nascido.

Neste período o Ômega-3 atua na formação de todas as membranas celulares do sistema nervoso.

A acumulação do DHA começa no útero e passa para o bebê pela placenta.

1- O consumo de DHA ajuda no crescimento cerebral e no desenvolvimento cognitivo da criança, podendo ter efeitos benéficos em longo prazo no que diz respeito à capacidade de raciocínio e prevenção do déficit de atenção, muito comum em crianças hoje em dia.

2- Melhora o desenvolvimento psicomotor, a coordenação motora e auxilia no combate a doenças neurológicas.

3- Ajuda no desenvolvimento completo da retina, garantindo uma melhora na visão da criança. O DHA é uma das principais gorduras estruturais na retina do olho. Sendo responsável por até 60% do total de ácidos graxos poliinsaturados.

4- Pode minimizar riscos de aborto espontâneo e de partos prematuros pelo fato de colaborar com o desenvolvimento do bebê.

Olhando para todos esse benefícios que o Ômega-3 traz, tanto para a criança quanto para a mãe, fica claro que esse nutriente não pode faltar na dieta durante a gestação.
 

Marque uma consulta com o autor deste artigo.
foto

Fatima Cristina Dias Sanches

Ginecologia e Obstetrícia